Representação Paulista da ABP

Equipe Pualista da ABP Gestão 2017

Equipe Paulista Gestão 2017/19 da Associação Brasileira de Psicomotricidade Capítulo São Paulo

A história da Psicomotricidade em São Paulo começou na decada de 50, quando o Dr. Haim Grunspun, médico psiquiatria, discorria a respeito do desenvolvimento da motricidade tônica, perturbações do esquema corporal, da tonicidade e do equilíbrio, classificando como Distúrbios da Psicomotricidade, além da importância do diagnóstico precoce e de uma intervenção com exercícios psicomotores. Em sua obra "Distúrbios Neuróticos da Criança" ele descreve que além dos distúrbios da psicomotricidade, há indicação desta terapêutica para diferentes casos de distúrbios de linguagem para dificuldades especificas de leitura, escrita, para distúrbios de atenção e para alguns casos de psicoses.

No mesmo período, também em São Paulo, o Dr. Antonio Frederico Branco Lefèvre, médico neurologista, promove um programa de investigação dos padrões etários do desenvolvimento e consequente perfil neurológico do desenvolvimento, oferecendo-nos, posteriormente, a padronização do exame neurológico do recém-nascido e o exame evolutivo da criança, o que nos permite caracterizá-la dentro de cada idade e estabelecer um padrão de "normalidade", dando continuidade aos estudos de Dupré (1925), sobre a debilité motrice (debilidade motora).

Na década de 70 começam as formações com cunho terapêutico em Psicomotricidade no ISPE/GAE e no Sedes Sapientiae (exclusivo para médicos e psicólogos). Em 2002 cresceu muito o número de lançamentos de cursos de pós-graduação lato sensu, inclusive em Psicomotricidade. Em levantamento realizado em 2014, 28% dos curso de especialização em Psicomotricidade no Brasil são oferecidos em São Paulo.

Em 22 de outubro de 2005 ocorreu em São Paulo a ”I Jornada da Sociedade Brasileira de Psicomotricidade do Estado de São Paulo: Psicomotricidade, inclusão e Aprendizagem", organizada por Janice Cabral e Theresa Borghi, em parceria com a, até então, Sociedade Brasileira de Psicomotricidade - Capitulo Nacional (SBP). Neste evento contou-se com 160 participantes e efetivou-se a criação da Representatividade São Paulo.

A Associação Brasileira de Psicomotricidade – Capítulo São Paulo nasceu da necessidade de suprir a defasagem de eventos diretamente ligados à psicomotricidade em São Paulo e pela consciência da importância do aprimoramento profissional e pessoal visando o benefício do ser humano, com o objetivo de fortalecer vínculos entre psicomotricistas de São Paulo e de outros estados brasileiros e para a troca de conhecimentos científicos necessários ao futuro da Psicomotricidade no Brasil.

Após a efetivação da representatividade São Paulo, a jornada aconteceu em três edições, dando lugar para o “Simpósio Paulista de Psicomotricidade”, atualmente em sua 5ª edição. Em 2011, após consolidada a representação da Psicomotricidade em São Paulo, tornou-se Capítulo. Neste mesmo ano foi votada, em assembléia geral, a mudança de nome, desta forma a SBP passou a ser Associação Brasileira de Psicomotricidade (ABP).
Atualmente, a Associação Brasileira de Psicomotricidade – Capítulo São Paulo conta com um corpo diretivo e comissão científica de 11 membros, atuantes em diversas áreas de conhecimento, com a Psicomotricidade como nosso grande norteador de pesquisas e práticas.